Presidente da Assembleia presente nas comemorações do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas

Share Image

As comemorações oficiais, que contaram com a presença de várias entidades governamentais, políticas, militares e religiosas, iniciaram com a deposição de flores junto ao monumento ao Emigrante Madeirense, na Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses. Seguiram-se as intervenções dos...

STAGING
STAGING
STAGING
STAGING
XI Legislatura, I Sessão Legislativa Presidente
Presidente da Assembleia presente nas comemorações do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas

Homenagem-Comunidades-Portuguesas-01

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira esteve presente nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, que se realizaram dia 10 de junho.

Deposicao-flores-Homenagem-Comunidades-02

As comemorações oficiais, que contaram com a presença de várias entidades governamentais, políticas, militares e religiosas, iniciaram com a deposição de flores junto ao monumento ao Emigrante Madeirense, na Avenida do Mar e das Comunidades Madeirenses.

Seguiram-se as intervenções dos representantes das comunidades, Elaine Silva e Osvaldo Costa, do secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, Sérgio Marques, em representação do presidente do Governo Regional, do presidente da Assembleia Legislativa, Tranquada Gomes, e do representante da República para a Madeira, Ireneu Barreto.

Discurso-Homenagem-Comunidades-03

Intervenção do presidente da Assembleia Legislativa, Tranquada Gomes:

Senhor Representante da República para a Região Autónoma da Madeira, Excelência

Senhor Secretário Regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, em representação de Sua Excelência o Presidente do Governo Regional da Madeira, Excelência

Senhora secretária e senhor secretário regional, Excelências

Excelentíssimo Senhor Presidente da Câmara Municipal do Funchal

Excelentíssimo Senhor Comandante Operacional e da Zona Militar da Madeira

Excelentíssimo Senhor Comandante da Zona Marítima da Madeira

Excelentíssimos Senhores cônsules

Minhas Senhoras e Meus Senhores

No dia de hoje, comemoramos Portugal, Camões e as Comunidades Portuguesas. A Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, órgão máximo da autonomia regional, não podia deixar de associar-se às celebrações que decorrem também nesta Região sob o patrocínio de Sua Excelência o Representante da República para a Madeira.
Depositária da vontade legítima e legitimada da população da Madeira e do Porto Santo, a Assembleia Legislativa revê-se, particularmente no dia hoje, nos seus emigrantes que, espalhados pelo mundo, constituem a nossa Diáspora.
Homens e mulheres que movidos pela vontade de vencer na vida e não encontrando esperança na terra que os viu nascer, embarcaram para terras distantes à procura do seu sonho.
A Região Autónoma da Madeira mudou muito nestes últimos 40 anos depois do 25 de Abril. Percorreu um longo caminho de desenvolvimento e de modernidade.
Hoje somos uma Região com boas acessibilidades internas e externas, com excelentes infraestruturas ao nível da saúde, da educação, das acessibilidades internas e externas, telecomunicações e do desporto.
É uma Região mais justa e solidária com os seus.
Estamos, naturalmente, muito gratos pelo prestígio que as nossas comunidades têm nos países de acolhimento. Gente que não obstante ter de partir para longe da sua terra, nunca deixou de cultivar o amor e carinho pela nossa Região.
Gente que com o seu trabalho, persistência e dinâmica em muito contribuiu para o sucesso da Madeira.

Vivemos hoje tempos difíceis, não o podemos negar. As nossas dificuldades estruturais que emergem da condição da região ultra periférica que somos persistem e só o cumprimento pelo Estado, em permanência e sem qualquer subterfúgio ou reserva mental, do princípio da continuidade territorial poderá atenuá-las. Mas nós cá, como vós nas vossas comunidades espalhadas pelo mundo, não somos gente de desistir perante as dificuldades. O Ilhéu é assim: gente de fibra, persistência e trabalho para quem o mar nunca foi o limite mas apenas uma ponte para o mundo.
Estamos a viver na nossa Região um novo ciclo político que também se espera ser de maior desenvolvimento económico e social. Estamos serenos e confiantes, apesar do doloroso processo de consolidação das nossas finanças públicas decorrentes do programa de assistência económica e financeira que a Região celebrou com o Estado Português.
Temos direito a esperar que o Estado Português e a União Europeia olhem para nós com o interesse que merecemos. Os nossos desafios não estão reféns apenas da consolidação orçamental.
Temos de conseguir encontrar emprego para os nossos jovens: para os que aqui estão e para aqueles que outra alternativa não tiveram que o de procurar melhores condições de vida noutras paragens.
Temos de dar igualmente esperança aos desempregados de longa duração, mas que pela sua idade ou nível das suas qualificações têm maiores dificuldades no acesso ao mercado de trabalho, aos nossos reformados e pensionistas que merecem uma vida digna.

Para atingir estes objetivos teremos de garantir mais e melhor autonomia, sobretudo no domínio fiscal.
O nosso Parlamento encontra-se neste momento a preparar legislação para ser discutida e votada na Assembleia da República que vai ao encontro das nossas necessidades que cada vez mais dependem da nossa capacidade de legislar neste domínio.
A Madeira é muito grata a todos os seus filhos. Temos muito orgulho nas nossas comunidades.
Somos mais lá fora do que cá dentro. O mar não nos impediu de embarcar na grande viagem da emigração, esse mesmo mar que foi, em épocas difíceis da história da Madeira, a esperança e não a fronteira.
A nossa diáspora espalhada pelos quatro cantos do mundo faz parte da nossa história, do nosso percurso enquanto comunidade com raízes e valores próprios, transportando-os para além mar e faz igualmente parte do nosso futuro.
O Padre António Vieira, a quem Pessoa chamou o imperador da língua portuguesa, disse que para nascermos precisamos de pouca terra; para morrer temos toda a terra, querendo com isso enfatizar que os homens não se definem pelo lugar onde vêm ao mundo mas que este mundo pode ser a casa de muitos de nós.
É com esta frase curta mas com particular simbolismo que a Assembleia Legislativa da Madeira saúda os madeirenses e portosantenses da nossa diáspora, desejando-lhes as maiores felicidades, sublinhando que o prestígio e a integração nos países de acolhimento em muito ajudam a promover a Madeira. Que cada madeirense emigrado seja no país que o acolheu e à sua família um embaixador da sua terra.
Muito obrigado.

Condecoracoes-Dia-Portugal-01

As comemorações oficiais ao Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas prosseguiram com a Cerimónia de Agraciamento a personalidades madeirenses, no Palácio de São Lourenço.
Carlos Lélis foi distinguido com o Grau de Comendador da Ordem do Mérito, Joana Coelho foi condecorada com o grau de Comendador da Ordem da Instrução Pública e Almada Cardoso recebeu a condecoração de Membro Honorário da Ordem do Mérito, Associação Protetora dos Pobres.

Condecoracoes-Dia-Portugal-02

Copyright © 2018-2019 ALRAM