Cardeal Tolentino Mendonça “é expressão real da Cultura do Encontro”, afirma Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira

Share Image

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, considera que o Cardeal D. José Tolentino de Mendonça “é a expressão real da Cultura do Encontro de que tanto fala o Papa Francisco, da necessidade de olhar o Outro, mesmo o não crente, não como um estranho, ou como mais um,...

XII Legislatura, I Sessão Legislativa Sessão Solene
Cardeal Tolentino Mendonça “é expressão real da Cultura do Encontro”, afirma Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira
  • 1.jpg
  • 6.jpg
  • 5.jpg

O presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, considera que o Cardeal D. José Tolentino de Mendonça “é a expressão real da Cultura do Encontro de que tanto fala o Papa Francisco, da necessidade de olhar o Outro, mesmo o não crente, não como um estranho, ou como mais um, mas como alguém que precisa de ser ouvido e com quem se pode aprender e conviver”. No discurso de atribuição da Medalha de Mérito da Região Autónoma da Madeira, que aconteceu hoje no parlamento madeirense, José Manuel Rodrigues disse ao Cardeal que “os seus diálogos com o mundo da Cultura e das Artes em Portugal, através das sua poesia,  das suas crónicas e das interações com os criadores, abriram novos caminhos à Igreja portuguesa e fizeram com que muitos regressassem à fé e que outros olhassem e lessem de outra forma os Evangelhos”.

Numa altura em que as atenções estão centradas nos problemas das migrações, o Presidente do parlamento madeirense lembrou que “D. José Tolentino Mendonça conhece bem esta realidade porque também a viveu e a sentiu, quando a sua família foi obrigada a regressar à Madeira, após a descolonização de Angola.” Deu o exemplo da Venezuela para dizer que “É nosso dever, acolher, promover, integrar estes nossos concidadãos que um dia partiram porque a terra mãe não lhes dava o pão nosso de cada dia”.  Lembrou ainda que continuam a “morrer pessoas em Caracas e em Valência, na Síria e no Iraque, no mar Egeu e no Mediterrâneo, sem que alguém lhes tivesse estendido uma mão protetora. Por estes que partiram, cuidemos dos que ficaram e sofrem, pois esse é o nosso Inalienável e Indiscutível Dever”.

José Manuel Rodrigues mostrou-se ainda preocupado com a pobreza e a exclusão social para defender que “a economia tem que mudar, que a sociedade tem que recuperar valores, que a comunidade deve continuar solidária, mas só atingiremos o patamar da igualdade de oportunidades e da afirmação e emancipação de todos pela via da Cultura e da Educação.

A principal desigualdade social é a desigualdade do conhecimento e é essa que leva às outras diferenças e injustiças que conduzem muitos à pobreza e à exclusão. O milagre não é impossível, ele está ao alcance das nossas decisões”, disse.

A atribuição da Medalha de Mérito da Região Autónoma da Madeira, pelo parlamento madeirense, é o reconhecimento do percurso de vida do Cardeal, poeta e professor, nascido em dezembro de 1965, em Machico. José Tolentino de Mendonça, de 54 anos, é o segundo membro mais jovem do Colégio Cardinalício, após o cardeal de Bangui (República Centro-Africana), Dieudonné Nzapalainga, de 52 anos.

“Para os Representantes do nosso povo é com infindável Orgulho que agraciamos o “nosso” Cardeal- permita-me que o trate assim-, com a mais alta condecoração da Região Autónoma da Madeira”, realçou o Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, perante uma plateia onde estavam os deputados e as mais altas entidades civis e militares, entre vários convidados. “Nada mais justo para quem fez um percurso inigualável na Igreja Católica sem nunca esquecer as suas raízes de ilhéu e as suas origens”, afirmou o José Manuel Rodrigues.

 

Copyright © 2018-2020 ALRAM