Comunicação Social deve ter “bom senso” ao noticiar casos de suicídio

Share Image

“Decorreu no passado dia 13 de fevereiro, no Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Madeira, o Workshop “Saúde Psicológica nos Media”. Esta foi uma iniciativa inserida no âmbito do “Parlamento com Causas”, e que contou com os oradores Miguel Ricou, Presidente da Comissão de Ética da Ordem dos...

XII Legislatura, I Sessão Legislativa ConferênciaConferência
Comunicação Social deve ter “bom senso” ao noticiar casos de suicídio
  • 04.jpg
  • 03.jpg
  • 01.jpg
  • 02.jpg
  • 06.jpg
  • 05.jpg
  • 07.jpg

“Decorreu no passado dia 13 de fevereiro, no Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Madeira, o Workshop “Saúde Psicológica nos Media”. Esta foi uma iniciativa inserida no âmbito do “Parlamento com Causas”, e que contou com os oradores Miguel Ricou, Presidente da Comissão de Ética da Ordem dos Psicólogos Portugueses, António Macedo Ferreira, Presidente da Direção Regional do Sindicato dos Jornalistas, e Renato Carvalho, Presidente da Delegação Regional da Madeira da Ordem dos Psicólogos Portugueses. A dinamização e moderação do Workshop esteve a cargo da Vice-Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Rubina Leal.

Na abertura desta iniciativa, o Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, alertou para a importância da temática em apreço, defendendo que as questões de saúde mental dizem respeito a toda a sociedade, sendo por isso uma causa pública. Salientou ainda que as redes sociais carecem de uma especial atenção, uma vez que permitem a disseminação de notícias sem moderação, o que muitas vezes acarreta riscos para os leitores.

Logo de seguida, coube a Renato Carvalho contextualizar esta temática, referindo que há boas práticas que podem ser seguidas quando se noticiam tentativas ou casos consumados de suicídio, procurando sempre disponibilizar aos leitores referências de entidades que podem ajudar nestes casos. Abordou ainda a importância dos media como uma fonte primária de informação, cabendo aos mesmo uma postura de redobrado cuidado na forma como noticiam os acontecimentos.

Na componente de debate, Rubina Leal moderou a conversa entre Miguel Ricou e António Macedo Ferreira, que começou com o Presidente da Comissão de Ética da Ordem dos Psicólogos Portugueses a distinguir três fases no suicido: a ideação suicida, a tentativa e a consumação. Ao contrário do que as pessoas pensam, segundo este especialista, 95% das pessoas que pensam em suicídio, nunca chega a tentar cometer esse ato. Tal deve-se ao suporte que possuem, à ajuda que têm à sua disposição, o que releva ainda mais a importância de os Media disponibilizarem informação sobre as entidades que estão preparadas para auxiliar nestes casos. Será sempre necessário bom senso na forma como os meios de comunicação social reportam notícias sobre esta temática.

No que concerne a António Macedo Ferreira, o Presidente do Sindicato dos Jornalistas na Região, apontou para uma série de lacunas na formação dos jornalistas, que necessitam de um maior aprofundamento sobre os princípios éticos e deontológicos nesta matéria. Não obstante, demonstrou que os meios digitais são hoje uma fonte inesgotável de informação e que os próprios leitores exigem as notícias ao segundo, o que invalida que, em muitas ocasiões, os jornalistas consigam rever a notícia e os factos antes de a transmitir aos cidadãos.

Por fim, Rubina Leal encerrou o Workshop, apelando a que concretize um pacto que permita a todos os intervenientes noticiar de forma mais responsável as notícias sobre o suicídio, evitando o excesso de pormenores que, como indicam os estudos, podem despoletar outros suicídios. A Vice-Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira reforçou que esta é uma causa de todos nós, e que envolve não só os Media, como também os psicólogos, os agentes de proteção civil, as instituições que trabalham a saúde mental, bem como a sociedade civil em geral.”

A Saúde Psicológica nos Media 13.02.2020
Copyright © 2018-2020 ALRAM