Assembleia Legislativa mostra Tapeçarias da Madeira

Share Image

No próximo dia 03 de setembro, pelas 18:00 horas, o Parlamento Regional, em colaboração com a Bordal - Bordados da Madeira, propõe uma "Viagem pelas Tapeçarias da Madeira", abrindo as portas a uma exposição que se aprofunda numa das mais brilhantes e emblemáticas tradições do património cultural...

XII Legislatura, I Sessão Legislativa Exposição
Assembleia Legislativa mostra Tapeçarias da Madeira
  • 1.jpg

No próximo dia 03 de setembro, pelas 18:00 horas, o Parlamento Regional, em colaboração com a Bordal - Bordados da Madeira, propõe uma "Viagem pelas Tapeçarias da Madeira", abrindo as portas a uma exposição que se aprofunda numa das mais brilhantes e emblemáticas tradições do património cultural madeirense.

Da autoria da Bordal, a exposição que agora chega ao átrio da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira, como uma iniciativa integrada no programa comemorativo da Festa da Flor 2020, efeméride que arranca no mesmo dia, reúne peças únicas e originais, as mais significativas, incluindo as respetivas maquetes e estudos, bem como teares, lãs e mobiliário. A Bordal constrói, deste modo, uma esmerada narrativa, assente na produção e na história desta arte.

Após esta mostra, a Bordal criará um ponto histórico na sua fábrica, lado a lado com o Roteiro Histórico do Bordado Madeira, criado em 2013. A empresa madeirense, que vem assumindo como primordial missão a preservação e divulgação do Bordado Madeira, possui uma coleção de milhares de originais de Tapeçarias da Madeira, incluindo modelos e peças históricas que fazem parte de algumas das fases do seu fabrico.

A Tapeçaria da Madeira começou a ser produzida pelas mãos das bordadeiras, depois do aparecimento do Bordado da Madeira, nos finais do século passado. Esta indústria de tapeçarias surgiu em 1936, pela iniciativa do pintor alemão Herbert Kiekeben. A partir desta data, as bordadeiras tornaram-se exímias nesta arte de ‘pintar’ com lãs e linhas de algodão sobre as telas de tapeçaria. Em cada encomenda era criado um original. Este modelo entrava, depois, numa fase de reprodução em novas telas, em que as chamadas "maticadoras" do atelier escolhiam e juntavam as lãs às telas, que seriam entregues às mãos sábias das bordadeiras, espalhadas por toda a ilha. A bordadeira utilizava os pontos de “grado”, miúdo”, “gobleliu” ou “alinhavado”, conforme as diferentes técnicas a aplicar para ‘desenhar’ paisagens, retratos e quadros de grandes pintores.

Fundada em 1962, a Bordal é, atualmente, um dos principais fabricantes e exportadores do famoso Bordado da Madeira.

A inauguração é acompanhada por um Madeira de Honra servido pela Associação Barmen da Madeira, que este ano assinala 50 anos de existência.

A exposição "Viagem pelas Tapeçarias da Madeira" ficará patente ao público no átrio da Assembleia Legislativa até ao dia 27 de setembro do corrente ano.

Copyright © 2018-2020 ALRAM