Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira pede o apoio do Estado para a recuperação do temporal

Share Image

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira pediu hoje a solidariedade do Estado para fazer face aos prejuízos causados pelas enxurradas e pelo aluimento de terras que atingiu as freguesias de Ponta Delgada e da Boaventura. “A situação é mais grave do que aquilo que se previa”, salientou José...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa Presidente
Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira pede o apoio do Estado para a recuperação do temporal
  • 2.jpg
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 6.jpg
  • 7.jpg

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira pediu hoje a solidariedade do Estado para fazer face aos prejuízos causados pelas enxurradas e pelo aluimento de terras que atingiu as freguesias de Ponta Delgada e da Boaventura.

“A situação é mais grave do que aquilo que se previa”, salientou José Manuel Rodrigues, a meio da tarde, após ter visitado as zonas mais afetadas pelo temporal do dia 25 de dezembro, nas duas localidades do norte da ilha da Madeira. “Há prejuízos avultados, de milhões de euros, quer na área pública (nas vias de comunicação, na energia e na rede de águas), quer também em terrenos privados e em habitações”.

O Presidente do parlamento madeirense diz que “perante a dimensão dos prejuízos, acho que é dever do Estado, como já aconteceu, noutras circunstâncias e noutros concelhos do país, apoiar o concelho de São Vicente e a Região Autónoma da Madeira, no sentido de podermos recuperar a normalidade na vida da Ponta Delgada e da Boaventura”.

José Manuel Rodrigues aponta “prejuízos elevadíssimos” nas estradas, na proteção das ribeiras, nas habitações e nos terrenos agrícolas.

Faz ainda questão de destacar o “trabalho extraordinário” que está a ser realizado pela câmara de São Vicente, pelas juntas de freguesia, pela Secretaria Regional de Equipamentos e Infraestruturas, pela empresa pública Águas e Resíduos da Madeira (ARM), pela Empresa de Eletricidade da Madeira e pelas as empresas de telecomunicações e de construção civil, que nestes quatro dias têm tentado desobstruir estradas, repor a água potável, a eletricidade e as telecomunicações.

No terreno estão também equipas, do Instituto de Segurança Social da Madeira e da Investimentos Habitacionais, a dar condições às pessoas que foram retiradas das suas residências e que necessitam de alojamento e de outros apoios sociais, enquanto a normalidade não é reposta.

As Casas do Povo apoiam com a ajuda logística e alimentar as dezenas de voluntários e profissionais que se encontram a trabalhar na limpeza das casas e das estradas mais afetadas pelo temporal.

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira enalteceu ainda o trabalho de um grupo de 10 voluntários da freguesia do Curral das Freiras que presta auxílio na limpeza das habitações atingidas pelas enxurradas.

“Repor a normalidade nestas duas freguesias vai levar algum tempo e vai exigir grandes meios financeiros que a Região não dispõe, e daí que seja dever do Estado ajudar a Região, e ajudar particularmente o concelho de São Vicente e estas duas freguesias, neste momento difícil”, concluiu.

José Manuel Rodrigues foi acompanhado nesta visita, às zonas mais fustigadas pelo temporal do dia de Natal, pelo Secretário Regional de Equipamentos e Infraestruturas, pelo presidente da câmara de São Vicente e por vários especialistas que se encontram no terreno a estudar as condições de estabilidade dos solos.

O cemitério e o adro da igreja de Ponta Delgada também sofreram grandes estragos. Por precaução 27 pessoas foram retiradas das suas residências.

José Manuel Rodrigues, Presidente ALRAM 29.12.2020 (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM