A Cultura é um eixo estratégico do desenvolvimento, garante o Presidente do parlamento madeirense

Share Image

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira afirmou, hoje, que “a Cultura nas suas múltiplas vertentes não é um apêndice de qualquer outro setor, mas sim um eixo estratégico para o nosso desenvolvimento”. As palavras foram proferidas na abertura do VI Seminário das Bandas Filarmónicas da...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa Conferência
A Cultura é um eixo estratégico do desenvolvimento, garante o Presidente do parlamento madeirense
  • 1.jpg
  • 2.jpg

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira afirmou, hoje, que “a Cultura nas suas múltiplas vertentes não é um apêndice de qualquer outro setor, mas sim um eixo estratégico para o nosso desenvolvimento”. As palavras foram proferidas na abertura do VI Seminário das Bandas Filarmónicas da Madeira, que decorreu este sábado no Funchal.

José Manuel Rodrigues frisou que “a Cultura pode e deve ser uma mais-valia económica e social, pois é um Património nosso, único, histórico que deve ser valorizado e potenciado junto de quem nos visita e que procura conhecer e vivenciar a nossa vida e condição de ilhéus”.

Salientou que “é o passado, que nos distingue de outros povos e que deve ser projetado no presente e no futuro.

A nossa História, a nossa Cultura, são a par da beleza das nossas ilhas e do capital humano, as nossas mais-valias para enfrentar os desafios da nova globalização, da competição e da concorrência no Mundo em que estamos inseridos”, disse.

O Presidente do parlamento madeirense lembrou que as bandas “foram durante décadas o único meio que as populações tinham para aceder à Cultura, como os concertos e a diversão nas festas civis e religiosas”. Destacando que “nos meios mais afastados do Funchal, as Filarmónicas foram verdadeiras escolas de vida, formando jovens na música, mas também os incentivando na prossecução dos seus estudos e na sua formação enquanto cidadãos”.

José Manuel Rodrigues diz por isso haver “um dever de gratidão pelo que fizeram e fazem pela elevação cultural das nossas comunidades e pela formação cívica que asseguram aos nossos jovens”. Enalteceu “também o vasto espólio musical que foram acumulando, com peças criadas pelos vossos Maestros e Músicos, bem como com as adaptações e versões das músicas a cantares tradicionais, num património riquíssimo que ajudam a preservar e a divulgar e que deve ser reconhecido”.

Como autor do Decreto Legislativo que consagrou o Regime Jurídico do Património Imaterial da Região, José Manuel Rodrigues garantiu “que a Direção Regional de Cultura está a trabalhar na sua aplicação, designadamente na sua inventariação, classificação e divulgação”.

O Presidente do parlamento madeirense recordou ainda que o tempo atual é de distanciamento social, mas “quando pudermos estar de novo juntos e a festejar a Vida, será por via da música que vamos exorcizar os males do nosso descontentamento e será pela Cultura que nos libertaremos das amarras a que estamos sujeitos”, concluiu.

José Manuel Rodrigues, Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira ((áudio)
Copyright © 2018-2020 ALRAM