Parlamento madeirense congratula-se pelo trabalho da Associação Xarabanda

Share Image

ALRAM - Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira

XII Legislatura, II Sessão Legislativa PlenárioPlenário
Parlamento madeirense congratula-se pelo trabalho da Associação Xarabanda
A Assembleia Legislativa da Madeira aprovou, hoje, três votos de congratulação pelos 40 anos de existência da Associação Xarabanda.
  • Plenário ALRAM.jpg

“Formado em 1991, o grupo ‘Algozes’, que mais tarde deu origem à Associação Xarabanda, nasceu com um propósito que ia mais além da paixão pela música”, começa por referir o PSD. “Pretendia-se, através dela, ir ao encontro das raízes musicais madeirenses e reforçar a identidades regional”, pode ler-se no voto social democrata, que releva o trabalho em prol da cultura madeirense realizado pela associação.

Já o JPP considera que “quatro décadas fazendo o repositório das ricas tradições musicais madeirenses” e “trazer para a atualidade a nossa música” é uma “tarefa hercúlea e definidora de um labor desprendido que procura resgatar as ‘cantigas’ que os madeirenses criaram em mais de 600 anos de história”.

O PS também enaltece o trabalho desenvolvido pela Associação Xarabanda, destacando os seus fundadores: João Viveiros, José Camacho, Rui Camacho, Eleutério Corte, Carlos Pereira, João Luís Aguiar, Joel Camacho, Ezequiel Pereira, Guida Batista, Fátima Vasconcelos, Rui Alas e Jorge Martins. O reconhecimento estende-se a todos os que contribuíram para o sucesso do grupo. O grupo parlamentar do PS destaca ainda, neste voto, o “trabalho de extrema importância na defesa, preservação e promoção do património cultural madeirense”.

O parlamento madeirense rejeitou, com os votos contra do PSD e CDS-PP, projeto de decreto legislativo regional do JPP que pretendia a “alteração do Decreto Legislativo Regional n.º 21/2006/M de 21 junho que alterou o Decreto Legislativo Regional n.º 4/2000/M, de 31 de janeiro, que aprovou o regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos de educação e de ensino públicos da Região Autónoma da Madeira”. O JPP apresentou como justificação a necessidade de “maior transparência e eficiência na gestão das escolas, (…) através do alargamento aos docentes de Quadro de Zona Pedagógica da possibilidade de integrarem o conselho executivo, assim como a limitação de mandatos, com a consequente rotatividade dos cargos eletivos do presidente do Conselho Executivo ou diretor, presidente da Comunidade Educativa e presidente do Conselho Pedagógico”. O diploma mereceu o voto favorável dos restantes partidos.

Foi também debatido e rejeitado o Projeto de Resolução do PS designado «mercados locais e cadeias curtas de abastecimento». No diploma o grupo parlamentar socialista recomendava ao governo regional a “criação duma medida de incentivo e promoção dos «mercados locais e cadeias curtas de abastecimento», a incluir na medida Apoio ao desenvolvimento local de base comunitária, do Programa de Desenvolvimento Rural da Madeira PRODERAM 2020, com o objetivo de dinamizar a criação de cadeias curtas de distribuição agroalimentar e modelos de comercialização de proximidade de produtos agrícolas e transformados, adaptando as respostas locais aos novos tempos de convivência com a COVID-19”.

Reunião Plenária n.º 66 de 28.04.2021 (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM