Turismo na Madeira dá sinais positivos

Share Image

O Presidente do Governo Regional da Madeira garantiu hoje, no parlamento madeirense, que os “mercados têm reagido positivamente”, em relação à Região. “Neste momento temos 30 companhias a operar na Região, 43 aeroportos ligados, 165 mil lugares disponíveis e 949 frequências contratadas, incluindo 17...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa PlenárioPlenário
Turismo na Madeira dá sinais positivos
  • Debate ALRAM7.jpg

O Presidente do Governo Regional da Madeira garantiu hoje, no parlamento madeirense, que os “mercados têm reagido positivamente”, em relação à Região. “Neste momento temos 30 companhias a operar na Região, 43 aeroportos ligados, 165 mil lugares disponíveis e 949 frequências contratadas, incluindo 17 novas rotas desde junho de 2020”, revelou Miguel Albuquerque.

O governante explicou ainda que na operação de triagem e controlo nos aeroportos, iniciada em março do ano passado, foram realizados, até agora 233.788 testes.

“Outras medidas concretizadas, como a aprovação do Manual de Boas Práticas, em Maio de 2020, a primeira região de turismo a fazê-lo, a certificação contra os riscos biológicos com a adesão de 70 empresas – única região de turismo a adotar este procedimento; ou a abertura do corredor verde a partir de 4 de Janeiro de 2021, iniciativa onde a Região foi pioneira, também contribuíram decisivamente para este ambiente de confiança e segurança que, felizmente, continuamos a usufruir”, afirmou o Presidente do Governo Regional da Madeira.

Perante o agravamento da pandemia no continente a Madeira vai reforçar o controlo de entrada de visitantes, facto que legou o líder parlamentar do PSD a afirmar que “é perigoso o que está a acontecer em Lisboa”. “Isso vai colocar pressão sobre a Região", alertou Jaime Filipe Ramos.

O líder parlamentar do CDS-PP, António Lopes da Fonseca, lançou farpas ao Governo da República e ao primeiro-ministro por ter equiparado a Madeira às outras regiões do país, ditando assim a saída de Portugal do “corredor verde’ britânico”, com consequência para a Região.

O PS, pela voz do deputado Paulo Cafôfo, apontou a ausência de medidas estruturais no setor do turismo, capazes de requalificar e promover o destino. Deu o exemplo dos Açores que apostaram na qualidade.

Já Élvio Sousa, deputado do JPP, apontou o dedo ao valor elevado das “taxas aeroportuárias”, ponto em dúvida os benefícios da cedência do aeroporto da Madeira por 80 milhões de euros.

O deputado do PCP, Ricardo Lume, falou de uma redução de 43% no número de trabalhadores afetos ao turismo, para dizer que os milhões investidos para travar os impactos negativos da covid na economia não conseguiram garantir os empregos.

Reunião Plenária n.º 82 22.06.2021 (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM