Dia Internacional da Cruz Vermelha: "Os madeirenses e os porto-santenses devem muito à Cruz Vermelha"

Share Image

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira enalteceu, hoje, a missão da Cruz Vermelha na Madeira, após ter assistido à cerimónia de compromisso de fidelidade de 16 novos voluntários socorristas e enfermeiros, realizada no Complexo Olga de Brito/CVP, no caminho da Achada.  Neste sábado, data...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa PresidentePresidente
Dia Internacional da Cruz Vermelha: "Os madeirenses e os porto-santenses devem muito à Cruz Vermelha"
No Dia Internacional da Cruz Vermelha, o Presidente do parlamento madeirense enaltece missão dos voluntários: "Os madeirenses e os porto-santenses devem muito à Cruz Vermelha"
  • 1.jpg
  • 2.jpg
  • 3.jpg
  • 4.jpg

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira enalteceu, hoje, a missão da Cruz Vermelha na Madeira, após ter assistido à cerimónia de compromisso de fidelidade de 16 novos voluntários socorristas e enfermeiros, realizada no Complexo Olga de Brito/CVP, no caminho da Achada. 

Neste sábado, data em que se assinala o Dia Internacional da Cruz Vermelha, a cerimónia revestiu-se de um simbolismo mais ampliado, e José Manuel Rodrigues fez questão de demonstrar o seu apreço pelo empenho e espírito de entrega de todos aqueles que dão corpo a esta instituição de reconhecido "prestígio na Região Autónoma da Madeira e em todo o mundo". "Os madeirenses e os porto-santenses devem muito à Cruz Vermelha", notou José Manuel Rodrigues, lembrando o quão fundamental tem sido a sua ação, não só atualmente, no combate à pandemia COVID-19, mas também em contextos de tragédia, como a aluvião de 20 de fevereiro ou os incêndios que, em anos mais recentes, assolaram a ilha. 

"A Cruz Vermelha tem tido um papel essencial para levar socorro e ajuda a quem mais precisa. O facto de ter, agora, 16 novos voluntários, que vão integrar um corpo de 120, demonstra que o projeto é apetecível para todos os jovens que querem fazer voluntariado.", afirmou, acrescentando que "num mundo onde o relativismo impera, onde é difícil combater o individualismo, é bom saber que há jovens na Madeira dispostos a arriscar as suas vidas" por esta causa. O Presidente do primeiro órgão de governo próprio da Região regozijou-se, ainda, por apadrinhar um dos novos voluntários, Magno Jardim, um jovem natural da Calheta, papel que diz assumir "com muito gosto". "É um jovem que vem de um estrato social muito carenciado, mas que tem, com o seu mérito e a sua inteligência, vencido na vida.", sublinhou.

A cerimónia, que contou com um número reduzido de pessoas, devido aos atuais constrangimentos impostos pela pandemia, é o culminar de um processo de recrutamento encetado em fevereiro de 2020, e que era, inicialmente, composto por 50 formandos, tendo sido, depois, interrompido devido à crise sanitária, conforme explicou, na sua intervenção, o presidente da delegação da Madeira da Cruz Vermelha, o tenente-coronel Rui Nunes, que felicitou os 16 voluntários, desejando-lhes "os maiores sucessos" e recordando que "nesta instituição não há missões de primeira nem missões de segunda" e que "ser voluntário da Cruz Vermelha é um ato de coragem e responsabilidade."

José Manuel Rodrigues, Presidente ALRAM 08.05.2021 (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM