O Parlamento madeirense é também “a casa dos mais vulneráveis da sociedade”, garante José Manuel Rodrigues

Share Image

A partir de hoje, e até ao próximo dia 28 de maio, o átrio da Assembleia Legislativa da Madeira assume a forma de um jardim sensorial, “plantado” pela Associação para Pessoas com Autismo Os Grandes Azuis, que pretende, com esta mostra, dar o primeiro passo para a concretização de um sonho que vem...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa ExposiçãoExposição
O Parlamento madeirense é também “a casa dos mais vulneráveis da sociedade”, garante José Manuel Rodrigues
O Parlamento é, em particular, “a casa dos mais vulneráveis da sociedade”, afirmou José Manuel Rodrigues, na inauguração da exposição “Os Grandes Azuis”
  • 3.jpg
  • 1.jpg
  • 4.jpg
  • 5.jpg
  • 2.jpg

A partir de hoje, e até ao próximo dia 28 de maio, o átrio da Assembleia Legislativa da Madeira assume a forma de um jardim sensorial, “plantado” pela Associação para Pessoas com Autismo Os Grandes Azuis, que pretende, com esta mostra, dar o primeiro passo para a concretização de um sonho que vem sendo construído há já algum tempo: a construção de um jardim sensorial no bairro de Santo Amaro, em frente à sede da Associação. Ana Luísa Caires, Presidente d’Os Grandes Azuis, fala de “um projeto pioneiro na Região”, que visa proporcionar um maior bem-estar às pessoas com necessidades educativas especiais, mas também à população idosa, através de experiências afetivo-sensoriais.

Na sessão de abertura, realizada esta manhã, o Presidente do Parlamento madeirense, que conhece bem a instituição, uma das que visitou no âmbito do projeto Parlamento Mais Perto – Social, encetado na atual legislatura, fez questão de sublinhar a importância do trabalho desenvolvido pela equipa Os Grandes Azuis e notou que a Assembleia Legislativa da Madeira, sendo “a casa de todos os madeirenses e porto-santenses, é, em particular, a casa dos mais carenciados, dos mais vulneráveis da sociedade”. Sobre a exposição em forma de jardim de sensações, que recebe o nome da própria Associação, José Manuel Rodrigues congratulou-se por acolher um projeto que, mais uma vez, faz erguer a voz dos mais fragilizados e deixou claro que “o parlamento está sempre aberto a colaborar com todas as instituições, quer públicas quer privadas, no sentido de dar a conhecer projetos válidos para a nossa sociedade”. A este propósito, acrescentou que a Madeira “tem dado passos significativos na educação especial e também em termos de inclusão social e de apoio aos mais idosos, mas, obviamente, é sempre possível fazer mais, nos nossos bairros, nas nossas freguesias, vilas e cidades, para torná-las mais bem preparadas para todos”, alertou, lembrando que o envelhecimento da população é um dos desafios a que temos de estar atentos, até porque “vai agudizar-se nas nossas sociedades”. O presidente do primeiro órgão de governo próprio da Região afirmou, ainda, que o projeto de criação do jardim sensorial merece todo o apoio da Assembleia Legislativa e relevou o papel que vem sendo desempenhado pelo Governo Regional no que respeita à diversidade das respostas sociais encontradas para fazer face à complexidade destes contextos. “Se há pessoa que tem vindo a acompanhar estes projetos ao longo da sua vida profissional, antes como presidente do Instituto de Segurança Social e hoje como secretária regional de Inclusão Social e Cidadania, é a Dra. Augusta Aguiar. Estou certo de que ela é a pessoa mais sensibilizada desta terra para responder aos vossos anseios.”, frisou. Para concluir, José Manuel Rodrigues recordou que “a ação das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) é absolutamente decisiva para que as políticas públicas de Segurança Social tenham sucesso”, pois “se fosse apenas através das políticas públicas, sem o terceiro setor, o terceiro pilar da nossa sociedade, que é o setor social, dificilmente chegaríamos a toda a gente”. Uma missão “de louvar e apoiar”, acrescentou, vincando que as IPSS, de forma desinteressada, e em vários campos, são o grande pilar de apoio às nossas populações”.  No final, deixou um veemente apelo aos Grandes Azuis: “Aquilo que vos peço é apenas e só: nunca desistam e acreditem!”

A Secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania, que marcou presença no evento em representação do Presidente do Governo Regional, reconheceu o espírito de missão da Associação Os Grandes Azuis, cuja realidade conhece bem de perto, valorizando “um trabalho altamente meritório direcionado para esta população mais vulnerável”. A criação do jardim sensorial, “como ferramenta de estimulação das emoções”, é, segundo Augusta Aguiar, um projeto que representa uma inquestionável mais-valia para todos aqueles que dele irão usufruir. A governante não esquece “o trabalho desenvolvido pelas instituições parceiras do Governo Regional no âmbito das respostas sociais direcionadas para a infância e juventude, para a família e comunidade, na área da deficiência e reabilitação e na área da população idosa, sem as quais não seria possível chegar a todos os cidadãos madeirenses e porto-santenses em situação de maior vulnerabilidade e que necessitam  da nossa proteção, não só social, mas enquadradora num projeto de futuro mais enriquecedor e feliz.”

Augusta Aguiar agradeceu à Associação Os Grandes Azuis “todo o trabalho desenvolvido ao longo dos anos” e notou que “projetos como este são fundamentais na promoção da autonomia e da integração social destas pessoas.”

Abertura Exposição Os Grandes Azuis (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM