Assembleia Legislativa da Madeira associa-se à Hora do Planeta

Share Image

A Assembleia Legislativa da Madeira aderiu à Hora do Planeta, como “sinal de alerta para os grandes problemas que o Mundo atravessa”, justifica José Manuel Rodrigues, que aponta a conservação da natureza, as alterações climáticas, o ambiente e a boa qualidade de vida dos cidadãos”, como os temas de...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa PresidentePresidente
Assembleia Legislativa da Madeira associa-se à Hora do Planeta
  • 1.jpg

A Assembleia Legislativa da Madeira aderiu à Hora do Planeta, como “sinal de alerta para os grandes problemas que o Mundo atravessa”, justifica José Manuel Rodrigues, que aponta a conservação da natureza, as alterações climáticas, o ambiente e a boa qualidade de vida dos cidadãos”, como os temas de uma grande causa que deve ser de todos.

A Hora do Planeta acontece entre as 20h30 e 21h30, do próximo sábado, 27 de março, e devido à Covid-19 esta será a 2.ª edição em que o evento acontece em formato digital. Trata-se de uma ação ambiental que envolve 190 países, e mais de 3,5 mil milhões de pessoas, promovida pela World Wide Fund For Nature (WWF), a Organização não governamental internacional que atua nas áreas da conservação, investigação e recuperação ambiental.

Subordinado ao tema “Água e Alterações Climáticas”, a WWF pretende aproveitar o “laço digital” para dar importância à natureza, através da consciencialização para a importância da redução dos agentes que têm impactos no ambiente e que ameaçam a saúde do planeta e a economia mundial.

O parlamento madeirense vai desligar as luzes por 60 minutos e espera que o gesto seja repetido por todos os residentes na Madeira e no Porto Santo.

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, defende “um novo acordo pela natureza e pelas pessoas”. Vinca ainda que “esta situação da pandemia veio demonstrar as vulnerabilidades do nosso planeta, provocadas pelo Homem, e as próprias fragilidades do ser humano perante novas circunstâncias ambientais, como a disseminação de um vírus mortal, como aquele que estamos a combater”, salientou.

Entende, José Manuel Rodrigues, ser necessário estabelecer novas metas ambientais, que passam por “uma agricultura mais amiga do ambiente, maior poupança de água, mais limpeza dos oceanos, menor produção de lixo e menor consumo de energias”.

A primeira “Hora do Planeta” aconteceu em 2007 em Sidney, na Austrália, quando 2,2 milhões de pessoas e mais de 2.000 empresas apagaram as luzes por uma hora, numa tomada de posição contra as mudanças climáticas.

Este ano em Portugal já aderiram à iniciativa mais de uma centena de municípios (108) e muitas dezenas de instituições e organismos públicos, entre as quais o parlamento madeirense.

José Manuel Rodrigues, Presidente ALRAM_Hora do Planeta (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM