Serviço de Saúde da Madeira foi tema de debate potestativo

Share Image

O partido Juntos Pelo Povo (JPP) usou do direito de agendamento para requerer um debate potestativo sobre o “Serviço Regional de Saúde na RAM, em período de pandemia”. O grupo parlamentar do JPP justifica o debate com a necessidade de “envolver a comunidade e reavivar caminhos”. Nas contas do JPP...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa PlenárioPlenário
Serviço de Saúde da Madeira foi tema de debate potestativo
  • 1.jpg

O partido Juntos Pelo Povo (JPP) usou do direito de agendamento para requerer um debate potestativo sobre o “Serviço Regional de Saúde na RAM, em período de pandemia”. O grupo parlamentar do JPP justifica o debate com a necessidade de “envolver a comunidade e reavivar caminhos”.

Nas contas do JPP há “20.465 atos cirúrgicos em lista de espera” e nas “consultas médicas prioritárias, apenas 48% dos utentes foram atendidos”; classificando ainda política de saúde como “falhanço”, e afirmando que “os problemas do SESARAM não surgiram com a pandemia”.

O Secretário Regional de Saúde e Proteção Civil começou por lembrar que “o Serviço Regional de Saúde (SRS) não negligenciou esta pandemia”. Admitiu que “a pandemia veio interromper um pouco este ciclo novo, que iniciamos há alguns anos (45) e pôs à prova o nosso SRS, mas os seus profissionais souberam dar resposta”.

“Reorganizamos a nossa resposta, de modo a manter dentro do possível a acessibilidade segura, o diagnóstico sempre que necessário imediato, o tratamento das situações urgentes e emergentes, o acompanhamento durante a recuperação e reinserção social adicionando sempre uma vertente de sensibilização e educação para a COVID informando acerca dos cuidados que teriam de continuar a ter os nossos cidadãos após a sua recuperação, e os seus familiares”, explicou Pedro Ramos.

Entre as muitas medidas elencadas, o Governante apontou a criação de “Centros de Rastreios na RAM com a colaboração de 200 profissionais da saúde e da APM da Madeira na Madeira e Porto Santo. Exigimos testes na origem - 20 postos em Portugal inicialmente, agora 45 - onde já fizemos mais de 58.000 testes e 510 casos positivos”, disse.

O Secretário Regional de Saúde e Proteção Civil garantiu ainda que a vacinação contra a gripe “de mais de 50 000 pessoas” fez aumentar as “taxas de imunização comparando com anos anteriores. Não temos nenhum caso de gripe registado laboratorialmente”, assegurou.

Pedro Ramos explicou que além do “Plano Outono Inverno”, dinâmico e adaptado ao COVID e não COVID e a todos os vírus respiratórios e arboviroses”, o executivo madeirense apresentou muitas medidas na “área de resposta da COVID”. Entre elas, as “máscaras obrigatórias em todos os espaços, a partir dos 6 anos”; a testagem dos “grupos de risco de maneira diferente (viagens, comunidade, estudantes, saúde, educação…)”; a proibição de ajuntamos com mais de 5 pessoas; e também, entre outras, a vacinação contra a Covid-19 iniciada em 31 de dezembro de 2020 (com mais de 23 mil pessoas vacinadas na Madeira até agora).

O Governante agradeceu ainda aos profissionais de saúde e à população a “forma como têm compreendido e adotado atos de cidadania diferentes da nossa vida normal em prol da segurança de todos”.

Desde março do ano passado a Madeira registou 64 mortes e 7.337 infeções por Covid-19.

Reunião Plenária n.º 51 de 03.03.2021 (áudio)
Copyright © 2018-2021 ALRAM