IDEIA ganha espaço próprio de investigação

Share Image

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira inaugurou, esta manhã, o IDEIA - Investigação e Divulgação de Estudos e Informação sobre a Autonomia, instalado no edifício anexo à sede do Parlamento madeirense. José Manuel Rodrigues começou por destacar que “Hoje, podemos dizer que a implantação...

XII Legislatura, III Sessão Legislativa
IDEIA ganha espaço próprio de investigação
  • 1.jpg
  • 3.jpg
  • 6.jpg
  • 5.jpg
  • 4.jpg
  • 2.jpg
  • 8.jpg
  • 7.jpg
  • 9.jpg

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira inaugurou, esta manhã, o IDEIA - Investigação e Divulgação de Estudos e Informação sobre a Autonomia, instalado no edifício anexo à sede do Parlamento madeirense.

José Manuel Rodrigues começou por destacar que “Hoje, podemos dizer que a implantação da Autonomia, há 46 anos, foi, realmente, uma redescoberta das nossas ilhas, da nossa identidade, mas sobretudo um achamento do nosso futuro, futuro esse que fomos construindo desde 1976 e que nos proporcionou um enorme salto qualitativo no desenvolvimento e no crescimento social das gentes da Madeira e do Porto Santo. Podemos orgulhar-nos deste percurso de quase meio século, em que assumimos os nossos próprios destinos e soubemos impulsionar uma nova fase da nossa História, com certeza uma das mais bonitas dos nossos seis séculos.”

Hoje, 46 anos após a abertura do primeiro Parlamento da Madeira, com o seu primeiro presidente, Emanuel Rodrigues, declarou que a abertura do primeiro Órgão de Governo próprio da Região representava “um passo firme e decidido no caminho em direção à sonhada Autonomia, aquela Autonomia completa, real e efetiva, que os madeirenses tanto ambicionam, e que necessariamente acabarão por conseguir” e hoje podemos dizer que o sonho se concretizou, mas também proclamamos que a Autonomia completa está por conquistar e que é para esse combate que todos os madeirenses estão convocados”.

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, recordou que a Autonomia não é uma questão do passado, não é um dado adquirido e irreversível, mas sim um organismo vivo que orienta o nosso presente e nos assegura o futuro.  A luta pela Autonomia é importante nas aspirações perante o poder central, para que sejam fundamentadas na razão e no conhecimento.

“Não há Identidade sem Memória, e isto é verdadeiro para os indivíduos como para as sociedades. Investigar, Conhecer e Divulgar a Autonomia e a sua História é vital, e de todos os pontos de vista. Entre outras coisas, para olharmos com mais confiança o futuro. E isto pode e deve ser feito aqui, no Parlamento, fortaleza e sede do nosso regime autonómico. Com esta dimensão sociocultural, a nossa ação cultural como também, é certo, a nossa ação política, ficam mais robustas e substantivadas. Daí a importância que atribuo a este Centro de Estudos da Autonomia, coordenado pelo Dr. Marcelino de Castro, um madeirense que tem dedicado muito do seu tempo à nossa historiografia e ao sentir e ser madeirense. Daí este magnifico espaço ter a assinatura da Nini Andrade Silva, uma das nossas mais prestigiadas criativas, o que muito nos orgulha. Daí o Parlamento associar a sua imagem e espólio a grandes artistas madeirenses como Amândio Sousa, Ricardo Veloza, Teresa Gonçalves Lobo, Luís Paixão, Martim Velosa e Paulo David, o que muito nos honra. É sobretudo pela Cultura que se reforça a Identidade Regional, essa Madeirensidade que se fez um Mundo.” Concluiu José Manuel Rodrigues, Presidente da ALRAM.

Marcelino de Castro, coordenador do IDEIA, enalteceu a importância a este Centro de Estudos, afirmando que é importante “não esquecer os deveres de divulgação e de informação, interna e externa, para que nos defendamos melhor e bem assim para que o País saiba de facto o que é a Autonomia regional, tal qual ela foi aprovada pelos constituintes e tem sido apurada, até ao presente. Tudo com vista a melhor compreender a Autonomia conquistada”.

O Coordenador do Centro de Estudos proclamou perante os presentes que “as publicações constituirão sempre uma parte visível do nosso trabalho, pois a escrita e a edição em papel constituem garantias de pervivência que ainda não foram ultrapassadas. Tenhamos presente, por exemplo, o extraordinário catálogo editorial da Assembleia da República. Mas é claro que, na sociedade do écran, não nos podemos limitar ao papel, e ainda bem, pois o digital também é uma promessa complementar. Publicar, não o esqueçamos, não é imprimir, ou melhor, é mais do que imprimir, pois hoje a impressão privada, não mediada por um editor, ganha terreno e garante muito pouco, satisfazendo primacialmente o narcisismo editorial do autor. Publicar é, na verdade, um dever nosso: publicar é o dever de entregar ao Público o nosso trabalho, comunicando aos cidadãos o que, por ação da criação, do pensamento ou da investigação viemos a encontrar, a observar, a compreender e, depois, a entender. O entendimento tem muito da aplicação do conhecimento. Mesmo no que respeita ao conhecimento histórico.”

Ficou a promessa que a potencialidade deste novo espaço da Assembleia Legislativa da Madeira remete em outras coisas, para além da ‘Livraria Parlamento Madeira’. As potencialidades deste espaço asseguram, que este venha a ser um ponto de encontro de todos os que lutam pela nossa autonomia e nas suas mais variadas vertentes.

Inauguração IDEIA (vídeo)

 

 

Inauguração IDEIA (áudio)
Copyright © 2018-2022 ALRAM