Presidente da EEM explica razões da desistência do projeto para a produção de biocombustível a partir de algas, no Porto Santo

Share Image

A Comissão de Economia, Finanças e Turismo ouviu esta tarde o Presidente do Conselho de Administração da Empresa de Electricidade da Madeira (EEM), Francisco Taboada, com a finalidade de esclarecer questões sobre a desistência da parceria entre a BUGGYPOWER e a EEM. Perante os deputados...

XII Legislatura, III Sessão Legislativa Comissão EspecializadaComissão Especializada
Presidente da EEM explica razões da desistência do projeto para a produção de biocombustível a partir de algas, no Porto Santo
  • IMG_0006.JPG
  • IMG_0011.JPG
  • IMG_0012.JPG
  • IMG_0014.JPG

A Comissão de Economia, Finanças e Turismo ouviu esta tarde o Presidente do Conselho de Administração da Empresa de Electricidade da Madeira (EEM), Francisco Taboada, com a finalidade de esclarecer questões sobre a desistência da parceria entre a BUGGYPOWER e a EEM.

Perante os deputados madeirenses, Francisco Taboada referiu que a desistência teve a ver com a falta de viabilidade da proposta, no entanto, era promissora na altura em que foi concebida (2008).  “O projeto estendeu-se ao longo de uma década e a fabrica só entrou em funcionamento em 2019,” aclarou.

Sediada no Porto Santo, o Governo Regional injetou 45 milhões de euros no projeto que tinha por objetivo a produção de biocombustível a partir de algas.

De momento a produção é dirigida para a biomassa que pode ser aplicada nas áreas medicinais, alimentares e cosmética, e por essa razão não tem interesse para aquilo que é a área de negócios da Empresa de Eletricidade, explicou o presidente da EEM, afirmando haver empresas interessadas na fábrica.

2ª Comissão - Audição Eng.º Francisco Taboada (EEM)
Copyright © 2018-2022 ALRAM