Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira defende literacia mediática para ensinar a ver para além do olhar

Share Image

O Presidente do Parlamento madeirense alertou hoje para o perigo das notícias falsas e para as ameaças à democracia provocadas pela desinformação. José Manuel Rodrigues disse que no momento atual “há a necessidade de haver uma literacia mediática para ensinar a ver para além do olhar”. As palavras...

XII Legislatura, II Sessão Legislativa Parlamento dos JovensParlamento dos Jovens
Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira defende literacia mediática para ensinar a ver para além do olhar
  • Parlamento dos Jovens 6.jpg
  • Parlamento dos Jovens 4.jpg
  • Parlamento dos Jovens 3.jpg
  • Parlamento dos Jovens 1.jpg
  • Parlamento dos Jovens 2.jpg
  • Parlamento dos Jovens 5.jpg
  • Parlamento dos Jovens 7.jpg
  • Parlamento dos Jovens 8.jpg
  • Parlamento dos Jovens 9.jpg
  • Parlamento dos Jovens 10.jpg

O Presidente do Parlamento madeirense alertou hoje para o perigo das notícias falsas e para as ameaças à democracia provocadas pela desinformação. José Manuel Rodrigues disse que no momento atual “há a necessidade de haver uma literacia mediática para ensinar a ver para além do olhar”. As palavras foram registadas na sessão de abertura do projeto Parlamento dos Jovens, que tem o objetivo de proporcionar aos alunos, do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, uma vivência de uma sessão parlamentar.

Nove escolas da Madeira estão hoje a debater as “Fake News: que estratégias para combater a desinformação?”.

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira adiantou ainda que o Parlamento da Madeira lançará em breve “um projeto dirigido à comunidade sobre literacia mediática, que combate também as notícias falsas, numa parceria com diversas instituições da sociedade civil”. Trata-se de um contributo para ajudar as pessoas a construírem uma opinião crítica com base em informação de qualidade, que cumpra o princípio do contraditório e assentes em fontes fidedignas. “Não podemos cair na tentação de seguir tendências ou modas que constituem grandes perigos, e   que acabariam, sempre, por ter elevados custos no futuro, já que as notícias falsas e a difamação campeiam no espaço digital”, vincou José Manuel Rodrigues, que disse ser importante que “o Estado e as suas instituições apoiem a comunicação social de referência, quer a pública quer a privada, que foi sempre ao longo da História um garante do pluralismo e um pilar fundamental do regime democrático”.

O Secretário Regional de Educação Ciência e Tecnologia saudou as escolas e os jovens que estão a assumir “um papel ativo” numa “matéria tão importante para a sociedade”. Jorge Carvalho pediu aos estudantes para partilharem e consumirem apenas “informações corretas, que tenham origem em fontes credíveis e que possam ser comunicadas e analisadas com essa mesma credibilidade”. O governante lembrou que a Secretaria desenvolve desde o ano letivo 2008/2009 um projeto de educação para os media, em todas as escolas da Região, para dotar “os alunos de um conjunto de ferramentas que lhes permita interpretar melhor tudo o que é comunicação e tudo o que é informação”. “É fundamental desenvolver o sentido crítico dos jovens, porque através dessa ação estamos a capacitar toda a nossa sociedade. (…) Quanto melhor estivermos preparados, quanto melhor equipados estivermos, melhores respostas vamos dar”, reforçou Jorge Carvalho, deixando ainda elogios ao trabalho dos professores que “diariamente dão contributos muito significativos para a formação dos nossos jovens”.

O projeto Parlamentos dos Jovens é uma iniciativa da Assembleia da República, desenvolvida em parceria com a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira e a Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia.

O deputado do PS na Assembleia da República, Carlos Pereira, começou por lembrar que “o grande mérito da democracia é que todos nós podemos e devemos participar. Essa participação é essencial para melhorar a vida da nossa sociedade, o comportamento dos nossos governos e no limite a nossa vida”, salientou, desafiando desta forma as novas gerações a serem mais interventivas.

Sobre as notícias falsas, o parlamentar socialista deu como exemplos as informações veiculadas por Donald Trump e Jair Bolsonaro, para dizer que “este tipo de informações ditas por pessoas que têm um peso institucional é um ‘tapete verde’ para que todos possam acreditar, com consequências graves na condução dos acontecimentos”. O parlamentar do PS disse ser “absolutamente determinante que os países e as regiões se preparem para este tipo de embate”.

“O apelo que temos que fazer é que também a Assembleia Regional adapte as leis nacionais”. Carlos Pereira vincou que “a Madeira tem uma vantagem, que por ser uma região mais pequena, pode implementar medidas de teste”, de forma a proteger a sociedade da desinformação e da propaganda.

O deputado do PS na Assembleia da República realçou perante os jovens a importância de debater “as notícias falsas” e falou da importância do trabalho parlamentar, nos parlamentos nacional e regional.

Participam neste encontro as escolas do 2.º e 3.º ciclos do Caniçal, Bartolomeu Perestrelo, Eduardo Brazão de Castro, Horácio Bento de Gouveia, e as Escolas Básicas e Secundárias da Ponta do Sol, de Machico, de Santa Cruz, Ângelo Augusto da Silva, e ainda a Escola Básica e Secundário Padre Manuel Álvares.

Do encontro desta segunda-feira vão sair duas escolas vencedoras. Seis alunos vão representar a Madeira nas sessões do Parlamento dos Jovens que acontecem na Assembleia da República nos dias 09 e 10 de maio. Quatro desses alunos vão desempenhar o papel de deputados e os outros dois vão na qualidade de jornalistas.

Parlamento dos Jovens_Ensino Básico 21.03.2022 (áudio)

 

Copyright © 2018-2022 ALRAM