Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira destacou a importância do vinho ao longo da história socioeconómica da Região

Share Image

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira destacou, hoje, a importância a cultura vitivinícola na economia da Região, ao longo da história e na atualidade. Perante os cerca de 60 confrades nacionais e internacionais, que participam na Cerimónia Capitular Extraordinária 2022, promovida pela...

XII Legislatura, IV Sessão Legislativa ConferênciaConferênciaPresidente
Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira destacou a importância do vinho ao longo da história socioeconómica da Região
  • 3.jpg
  • 9.jpg
  • 8.jpg
  • 7.jpg
  • 6.jpg
  • 5.jpg
  • 4.jpg
  • 2.jpg
  • 1.jpg

O Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira destacou, hoje, a importância a cultura vitivinícola na economia da Região, ao longo da história e na atualidade.

Perante os cerca de 60 confrades nacionais e internacionais, que participam na Cerimónia Capitular Extraordinária 2022, promovida pela Confraria Enogastronómica da Madeira, José Manuel Rodrigues fez uma oração de sapiência onde abordou a história do vinho na Madeira e a importância que a cultura ainda mantém, não só em termos económicos, mas também paisagísticos e turísticos.

“A História do Vinho Madeira remonta ao tempo da Descoberta da ilha e confunde-se com a própria História do arquipélago”, começou por referir o Presidente do Parlamento madeirense, que é também confrade da confraria madeirense.

“Apenas 35 anos depois da Descoberta da Madeira já o veneziano Alise Cadamosto, nas suas Navegações escrevia que os vinhos da ilha eram “muitíssimo bons” e comparáveis aos melhores de Mediterrâneo, e vários artigos científicos e mesmos Tratados médicos recomendavam um cálice como bom remédio para diversas maleitas”, referiu.

Desfiando o fio da memória da história, o Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira lembrou que já “no século XVIII, esta projeção tem um enorme alcance e estende-se às Américas e Ásia, bem como a algumas possessões portuguesas na Índia.

A ilha vive um período de prosperidade até aí inigualável, e essa riqueza é aplicada em quintas, solares, capelas e encomendas de obras de arte que ainda hoje podem ser apreciadas”, vincou.

“Hoje, voltámos a ter vinhos com cinco e dez anos de grande qualidade e prosperam de novo as casas de vinho, com as exportações a aumentarem de forma gradual, mas significativa”, afirmou José Manuel Rodrigues na Cerimónia Capitular Extraordinária 2022, que decorreu no Salão Nobre do Parlamento madeirense.

“Pese embora o facto da viticultura já não ter o peso de outrora, a verdade é que o vinho faz parte da identidade e cultura madeirense.

Ainda hoje, é possível constatar, em muitas casas madeirenses, sejam ricas ou modestas, as chamadas latadas, onde os madeirenses procuram produzir o seu próprio vinho.

Assim como, olhando para a paisagem rural humanizada da Madeira, é possível verificar que as freguesias com mais propensão para a viticultura são aquelas que exibem maiores níveis de desenvolvimento e aquelas onde o património edificado é mais rico e mais significativo”, concluiu.

Na Madeira estão confrades de Portugal, de Itália, da Suíça, da França, da Bélgica, da Eslováquia, da Finlândia e dos Estados Unidos da América que nos próximos dias irão conhecer a ilha e os saberes e sabores regionais.

Cerimónia Capitular Extraordinária 2022 CEM (áudio)
Copyright © 2018-2022 ALRAM